Translate

quarta-feira, agosto 29, 2012

Coisa que nunca vamos esquecer ( tempo de escola)!!!



1 - Intervalos: Também conhecidos como “recreios”. Era o momento de confraternizar com os amigos, ou ainda, conhecer alguém especial.


2 - Merendas: Entre os alimentos oferecidos, destaque para o arroz, feijão, salsicha e macarrão. Dependendo da escola, o aluno podia ser agraciado com pães com geleia ou pedaços de bolo.




3 - Mimeógrafos: O aparelho, até meados de 2002, era utilizado na confecção de provas e trabalhos. Seu principal atrativo estava na facilidade de xerocar os mais diferentes documentos.



4 - Excursões: Um dos momentos mais esperados. O melhor de tudo eram as brincadeiras, realizadas com frequência dentro dos ônibus.

5 - Campeonatos: Através destes, a possibilidade de interagir com alunos de outras escolas. Entre as modalidades principais estavam o futebol, handball e basquete.




6 - Empréstimo de livros: O procedimento, aliás, foi adotado durante vários anos. Na biblioteca da escola, o aluno poderia escolher até dois livros, seja para ler no local ou em casa.





7 - Massinhas de modelar: Poucos produtos conquistaram, ao longo dos anos, tanta aceitação como as chamadas massinhas de modelar. Em cada embalagem, de 10 a 12 unidades eram comercializadas.


8 - Lancheiras térmicas: Em seu interior, diferentes objetos podiam ser guardados. Entre os lanches mais difundidos, destaque para os salgadinhos e para as batatas.



9 - Prendas: Entre os itens solicitados estavam: canetas hidrocor, giz de cera e folhas de almaço. Dependendo da escola, o aluno ainda podia ser encarregado de levar açúcar ou sal.
11 - Sala de vídeo: No local, diversos documentários eram apresentados. “Mundo Além do Cidadão Kane” e “Ilha das Flores” são apenas dois exemplos.

12 - Dobraduras: Algo simples, mas que cativava a todos. Através da técnica, diferentes formas podiam ser criadas: de pessoas e animais, passando por carrinhos e estrelas.




13 - Cartões de amor: Era a chance de se declarar para alguém. Quantos namoros, aliás, não começaram dessa forma?
14 - Corretivo: Uma verdadeira mão na roda. Durante as aulas, sua utilização era cada vez maior, fosse durante um trabalho ou prova.



15 - Cantar o hino nacional: Algo praticamente obrigatório. O mais cômico, era a cara de felicidade dos alunos, especialmente durante a letra.
16 - Mensagem do diretor: Todo ano era a mesma coisa. Primeiro dia de aula, e lá estava ele, todo serelepe. O discurso, por sua vez, era sempre repetido à exaustão.
10 - Tonyu e Yakult : Difícil encontrar uma criança, que, pelo menos uma vez na vida, não tenha adotado o Tonyu e o Yakult no seu dia a dia. Na escola então…





17 - Colar nas provas: Que atire a primeira pedra, a pessoa que nunca fez isso. Valia de tudo, aliás, das anotações do caderno, passando pelos livros, carteiras, etc.


18 - Brincar de esconde-esconde: Para a sua realização, diversos locais eram escolhidos: da quadra da escola, passando pela área de alimentação e banheiros.
19 - Tachinhas nas cadeiras: Um dos passatempos prediletos dos alunos. Quantos professores não foram vítimas das famosas tachinhas?
20 - Receber um apelido: O mais chato, por sinal, era quando o apelido pegava. A partir daí, o martírio começava..
21 - Namorar escondido: Bom, se não tinha outra jeito..O mais gostoso, era a sensação de adrenalina, provocada em parte, pelo medo da diretora ou zeladora.
22 - Desenhos nas cadeiras: Com o suporte do corretivo, diferentes formas eram criadas. Uma das mais impactantes, sem dúvida, era a do órgão sexual masculino.
23 - Recados na lousa: Entre as mensagens, destaque para as de cunho amoroso. Ainda no espaço, a chance de se declarar para um amor.
24 - Uniformes: Para cada época do ano, uma nova estampa era desenvolvida. Alguns modelos, aliás, traziam consigo, um simpático capuz.
25 - Carteirinha escolar: Através do documento, a chance de controlar a entrada e saída dos alunos. Dependendo da escola, ainda era solicitado um pequeno crachá, afixado na região do peito.
26 - Chamada oral: Um dos momentos mais temidos. A avaliação, por sua vez, era aplicada em diferentes colégios, tudo é claro, para o desesperado geral.


27 - Maquetes: Inúmeras formas eram criadas, das mais simples as mais complexas. Entre os temas centrais, destaque para a construção de cidades, prédios e avenidas.



28 - Lembrancinhas: Durante o aluno letivo, diferentes objetos podiam ser desenvolvidos. A maioria deles, criados a base de glitter, lantejoula ou palitos de sorvete.





29 - Fantasias: Algo que não podia faltar. Entre os modelitos, digamos assim, estavam o de papai noel e coelhinho da páscoa.
30 - Cantina: No espaço, diversos alimentos eram comercializados. Entre os mais conhecidos, merecem destaque as batatinhas e os chocolates.
31 - Ansiedade pelo primeiro dia: Sem dúvida, um fenômeno recorrente. Quantos alunos, aliás, não passavam a noite em claro, ansiosos pelo início das aulas?
32 - Atestado médico: Um documento sempre solicitado, independente da escola ou professor. Através dele, a chance de refazer uma prova ou trabalho.
33 - Sinal do intervalo: Um dos momentos mais aguardados. A única coisa chata era o ruído emitido, semelhante ao de uma ambulância desesperada.

34 - Caderno de desenho: Em suas páginas, diferentes trabalhos eram criados. Entre as técnicas utilizadas, destaque para o chamado pontilhismo.
35 - Lapiseira: Entre os alunos, a sua difusão era total. Seu diferencial estava na diversidade de modelos e de cores.
36 - Aula vaga: Um dos momentos mais desejados. Com ele, a chance de conversar com os amigos, ou ainda, jogar xadrez ou dominó.
37 - Apagar a luz do banheiro: Uma situação nada agradável. O mais chato, era quando além de apagar a luz, o seu “amigo” te deixava trancado no espaço.
38 - Esquecer o livro: Quantos não fizeram isso? O melhor, sem dúvida, era fazer o trabalho em dupla, especialmente quando era a “garota dos seus sonhos”.
39 - Andar pelos corredores: Bom, se a aula não agradava.. O único perigo era ser advertido pela zeladora da escola
40 - Chiclete na carteira: Um dos hábitos mais frequentes. Quantas carteiras, aliás, não foram “premiadas” com o chicletinho básico?
41 - Feijão no algodão: Entre os mais novos, a experiência do momento. Para a sua realização, apenas um pouquinho de água, feijão e algodão.




42 - Buquê de flores: Quando menos se esperava, eis que aparecia o entregador. O mais engraçado, eram as caras feitas, tanto pelos alunos como pela garota agraciada.
43 - Cadeiras arrastadas: Algo que tirava qualquer um do sério. Em alguns casos, o aluno ia parar direto na diretoria.
44 - Dormir no meio da aula: Uma solução bastante eficaz. Era a chance, por exemplo, de colocar o sono em dia, esquecendo, sobretudo, dos problemas do cotidiano.
45 - Educação sexual: Uma das aulas mais aguardadas. Com ela, as tradicionais piadinhas sobre os órgãos feminino e masculino.
46 - Amizades: Com o final do ensino médio, muitas das amizades eram perdidas. O sentimento de perda era total, especialmente entre os mais próximos.
47 - Nomes nas camisetas: Bia, Juliana, Fernanda… Como é bom recordar! Melhor ainda, quando percebemos a importância destas pessoas, e a sua respectiva contribuição em nossas vidas.
48 - Bebedeiras: No período noturno, especialmente no terceiro ano, era comum se deparar com alunos bêbados. Muitos, por sinal, mal entravam na escola, permanecendo, via de regra, na entrada do colégio.
49 - Reuniões de pais: Um dos momentos mais temidos. Quantos, aliás, não escondiam os boletins, temendo, por exemplo, a ira de seus pais?
50 - Lista de materiais: Algo imprescindível. Entre os objetos solicitados, apontadores, canetas e réguas. Dependendo da escola, a aquisição de livros e cartilhas se fazia necessário.
51 - Caderno de tabuada: Em suas páginas, os principais cálculos aritméticos. Sua distribuição, aliás, acontecia em todo o Brasil, especialmente nos primeiros meses do ano.
52 - Carimbos: Em sua composição, as principais letras e numerais. Para seu correto funcionamento, o acompanhamento de um estojo com tinta.
53 - Lápis com borracha: Nas papelarias, diferentes modelos eram encontrados. Dos mais simples aos mais detalhados.
54 - Caligrafia: Um dos itens mais avaliados. Para os alunos com melhor desempenho, o sorteio de brindes específicos.
55 - Aulas de inglês: O momento ideal para satirizar. Na hora da chamada então.. “Hereeeeee”, “I am Hereee”, “Presenttttttt”.
56 - Caderno de perguntas: Através deste, os questionamentos mais divertidos. Era a chance, por exemplo, de se conhecer a aluna mais querida.
57 - Desenhos nas unhas: Entre as garotas, uma verdadeira febre. Os modelos, aliás, iam do mais básico ao mais exótico.
58 - Agendas: Mapas, calendários e previsão do tempo. Quem nunca se utilizou de uma agenda, não é mesmo? Entre os alunos, mais do que um simples objeto, uma necessidade.
59 - Discmans: Com eles, a possibilidade de se divertir um pouco. Entre suas ferramentas principais, a pré-sintonia de rádios Fms.
60 - Eventos temáticos: A cada ano, novos eventos eram realizados. Entre os mais populares, destaque para os de ordem ambiental.
61 - Mural: No espaço, a difusão de diferentes mensagens. Entre os alunos, uma chance a mais de se expressar.
62 - Professores substitutos: Através destes, a alegria de muitos. Mais do que educadores, profissionais a serviço do bem.
63 - Aulas práticas: Entre os temas abordados, destaque para a arte, história e geografia. Não menos importante, a oportunidade de inserir elementos interativos.
64 - Jornais e revistas: Em meados dos anos 90, sua utilização passou a ser frequente. No ensino médio então, algo praticamente obrigatório.
65 - Salas de informática: Em um passado não muito distante, as chamadas salas de informática começavam a se proliferar. No espaço, o acesso aos softwares do momento: Windows, Word, Excel e Power Point.
66 - Ábaco: Em muitas escolas, o objeto era disponibilizado. Seu propósito central, a realização de cálculos aritméticos
67 - Caneta de 10 cores: Sem dúvida, um dos itens mais utilizados. Através desta, a chance de “enfeitar” um texto, ou ainda, uma tarefa específica.
68 - Adesivos: Algo que não podia faltar. A cada ano, novos modelos eram criados, até mesmo para o deleite dos alunos.
69 - Larousse Cultural: Muito antes do Google, as enciclopédias já se faziam presentes. Uma das mais importantes era a Larousse, encontrada nas mais diversas bibliotecas.
70 - Trotes: Em muitas escolas, os chamados “trotes” ainda se fazem presentes. Entre os mais novos, é a chance de se enturmar, participando, todavia, de gincanas sadias.
71 - Perua escolar: Para muitos, a maneira mais fácil de chegar ao colégio. Ainda na van, a possibilidade de “trocar ideia”, seja com um amigo ou com o motorista.
72 - Visitas surpresas: Entre os convidados, atores, poetas e palestrantes. Além destes, uma presença, digamos “especial”, a da diretora.
73 - Bombas fedorentas: O nome já diz tudo. O mais chato, sem dúvida, era o odor produzido, notado a uma distância considerável.
74 - Gangue do palhaço: Uma brincadeira de muito, mais muito mau gosto. Quantas crianças, aliás, não “corriam” para suas casas, temendo, por exemplo, um sequestro?
75 - Teatrinho: Durante as aulas de literatura, os chamados “teatrinhos” costumavam agradar. Em algumas escolas, diferentes cenários eram criados, revelando, pois, a criatividade dos alunos.
76 - Relatórios: Um procedimento rápido, porém eficaz. Através deste, a chance de se “livrar” da educação física, sem ter, por exemplo, que se suar, e retornar para a sala de aula.
77 - Presentes para a professora: Entre os alunos, um gesto de amor e carinho. Para a educadora, um sentimento de gratidão e respeito.
78 - Conversas na praça: Um hábito bastante frequente. Quantos estudantes não fizeram isso, seja para “trocar ideia”, ou ainda, se divertir?
79 - Fim do ensino médio: Enfim, o momento do adeus. Hora perfeita para trocar telefones, endereços, e, sobretudo, abraços apertados.
80 - Vingança contra os professores: Sim, isso acontecia. Nos casos mais graves, veículos eram riscados, ou ainda, depredados.
81 - Nadar na caixa d’água: Em algumas escolas, o passatempo do momento. Neste, a diversão contínua, em especial, no verão.
82 - Fichários: Até hoje, um dos itens mais comercializados. Para os alunos, uma palavra definia tudo: praticidade.
83 - Papel almaço: Um verdadeiro terror para os alunos. Em suas páginas, a confecção dos mais diferentes trabalhos.
84 - Aulas de história: Mais do que uma simples aula, um aprendizado. Momento ideal para “viajar”, descobrindo, sobretudo, culturas e personagens específicos.

85 - Brigas de meninas: Algo rotineiro. Valia de tudo, de puxões de cabelo, passando chutes e ameaças. Para os amigos, a árdua tarefa de encerrar o conflito.





86 - Grafite nas paredes: Uma solução paliativa. Para os diretores, a maneira ideal de se evitar pichações, ou ainda, disputas entre alunos.
87 - Bebedores desligados: Um verdadeiro tormento. Na época do verão então… Sorte de quem levava as famosas garrafinhas d’água.
88 - Castigos: Variavam de acordo com o professor. Entre os mais conhecidos, destaque para a limpeza de salas e banheiros.
89 - Suspensões: Nos casos mais graves, o aluno ainda era suspenso. Em casa, ele permanecia de uma a duas semanas.
90 - Ovada: Para alguns, um verdadeiro tormento. Detalhe: Se ainda fossem ovos de qualidade, da granja da esquina, mas não (risos).




91 - Espelhinho no tênis: Entre os garotos, uma das práticas mais adotadas. Com ela, a chance de observar uma ou mais calcinhas.
92 - Cantoria no intervalo: Momento ideal de confraternizar. No repertório, sucessos da MPB, Rock e Pop music.
93 - Festivais: Durante o evento, a realização dos mais diferentes números. De ballet e teatro, passando por shows e exposições.
94 - Jornaizinhos: Em muitas escolas, a criação dos chamados “jornaizinhos”. Através destes, a chance de criar, produzindo de textos literários a matérias jornalísticas